Press Enter to Search

3HAUSS

3HAUSS é um jogo de palavras. O "3" (three em inglês) refere-se à tríade arquitetônica, proposta pelo arquiteto romano Marcus Vitruvius: Firmitas, Venustas e Utilitas que representam, respectivamente, os princípios estruturais das edificações, os conceitos de beleza e os de funcionalidade. Além disso, o número brinca com a sonoridade de tree na língua inglesa, que significa tanto árvore quanto viga.
Hauss, mais um jogo com a palavra alemã haus, que significa casa. Com mais um “s” a palavra ganha o significado de extraordinário, surpreendente e maravilhoso em inglês. O nome 3HAUSS une os conceitos da arquitetura surpreendente, ecologicamente responsável, e da organização e concepção inteligente de espaços.

VINTAGE OU RETRÔ? DIFERENÇAS QUE VOCÊ NEM SABIA QUE EXISTIAM!

maio 2nd, 2016

Tanto o estilo vintage como o retrô trazem a atmosfera do século XX para os dias atuais. Quando se trata de arquitetura, isso se dá através do uso de diversas peças, texturas e materiais originais ou que remetem à época. Mas você sabe quais são as diferenças entre esses estilos?

3HAUSS_Arquitetura-vintage-ou-retrô-diferenças

VINTAGE

O estilo Vintage conta com o uso de elementos antigos e originais dos anos 20 a 60. Os ambientes eram minimalistas e possuíam, na maioria das vezes, fundos neutros e poucos móveis e elementos.

Sala de estar da arquiteta Lina Bo Bardi - 1951

Sala de estar da arquiteta Lina Bo Bardi – 1951

Jardim de inverno da casa do arquiteto Gregori Warchavchik (1928), conta com mobiliário de Lina Bo Bardi, Paulo Werneck, Oscar e Anna Maria Niemeyer e Fernando Prado

Jardim de inverno da casa do arquiteto Gregori Warchavchik (1928), conta com mobiliário de Lina Bo Bardi, Paulo Werneck, Oscar e Anna Maria Niemeyer e Fernando Prado

Sala da casa do arquiteto Gregori Warchavchik (1928)

Sala da casa do arquiteto Gregori Warchavchik (1928). Móveis Lina Bo Bardi, Simone Coste e Sérgio Rodrigues

As peças de mobiliário e decoração desta época eram feitas a partir de estruturas funcionais e enaltecendo a pureza das formas e dos materiais (Marcos Cartum e Maria Lydia Fiamminghi, 2008). A madeira era de fundamental importância e suas curvas eram muito bem exploradas.
Mobiliários dos anos 20 aos anos 50

Mobiliários dos anos 20 aos anos 50

Na decoração vintage portanto, nos dias atuais, são utilizadas essas peças originais, muitas vezes de renomados designers e arquitetos, criando composições limpas, com muitas superfícies lisas e linhas simples. Ambientes com decoração vintage possuem um viés minimalista e sóbrio, com formas geométricas, estampas bicolores, além dos clássicos pés palitos de madeira e metálicos. Itens da época como porcelanas, cristais, luminárias e eletrodomésticos  podem ser encontrados ou garimpados em antiquários ou lojas do gênero.

Sala de estar com mobiliário do Sergio Rodrigues com uso de materiais naturais (espaço assinado por Kátia e Diana Brooks)

Sala de estar vintage com mobiliário do Sergio Rodrigues com uso de materiais naturais (espaço assinado por Kátia e Diana Brooks)

3HAUSS_Arquitetura-sala-vintage-colecionador-peninha

Sala de estar vintage do colecionador Peninha em São Paulo

Sala de jantar vintage do colecionador Peninha em São Paulo

Sala de jantar vintage do colecionador Peninha em São Paulo

Sala da casa dos proprietários da loja Pé Palito Móveis Vintage, em São Paulo

Sala da casa dos proprietários da loja Pé Palito Móveis Vintage, em São Paulo

Apartamento Vintage com mobiliário do Sérgio Rodrigues assinado pelo arquiteto Leandro Garcia

Apartamento Vintage com mobiliário do Sérgio Rodrigues assinado pelo arquiteto Leandro Garcia

Apartamento Vintage com mobiliário do Sérgio Rodrigues assinado pelo arquiteto Leandro Garcia

Apartamento Vintage com mobiliário do Sérgio Rodrigues assinado pelo arquiteto Leandro Garcia

RETRÔ

O estilo Retrô faz uma releitura das formas e texturas das décadas 70 e 80, a partir da tecnologia moderna. O design da época estava em fase de transformação, já que novas linguagens e apelos de consumo estavam ganhando espaço, muito influenciados por movimentos internacionais como o Pop e Op Art. Neste período chegam também influências do design escandinavo.

Espaço da empresa Hobjeto, fundada em 1964 pelo designer Geraldo de Barros e pelo Aluisio Bione

Espaço da empresa Hobjeto, fundada em 1964 pelo designer Geraldo de Barros e pelo Aluisio Bione

Croqui na galeria da Hobjeto

Móveis na galeria da Hobjeto

Com a crise econômica brasileira nos anos 70, houve uma grande queda do consumo interno e consequente aumento dos custos de produção nas indústrias de mobiliários. Elas então voltaram seus esforços para a exportação e investiram no estudo do desenho industrial. Assim, os produtos foram virando símbolos de ostentação e de bom gosto e estimularam o consumismo das classes mais abastadas (Marcos Cartum e Maria Lydia Fiamminghi, 2008).

Mobiliários dos anos 70 e 80

Mobiliários dos anos 70 e 80

Os ambientes com estilo retrô possuem elementos que fazem releituras de elementos da época e os espaços normalmente possuem cores primárias, estampas fortes e são bastante despojados. Os posters estão muitas vezes presentes e contam com imagens de marcas antigas, como Coca Cola e General Eletrics, musas pin-ups e figuras e textos em neon.

Estante do designer Geraldo Barros com garrafas da Coca Cola e televisão retrô

Estante do designer Geraldo Barros com garrafas da Coca Cola, poster pin-up e televisão retrô

Mostra de apartamento que pertenceu ao arquiteto húngaro Ernö Goldfinger no pós segunda guerra mundial, revivido pelos designers Wayne e Tilly Hemingway para mostra pública

O apartamento que pertenceu ao arquiteto húngaro Ernö Goldfinger no pós segunda guerra mundial foi revivido pelos designers Wayne e Tilly Hemingway para mostra pública

Cozinha do pós segunda guerra trazida para os dias atuais em mostra pública pelos designers Wayne e Tilly Hemingway

Cozinha do pós segunda guerra trazida para os dias atuais em mostra pública pelos designers Wayne e Tilly Hemingway

Quarto do pós segunda guerra trazida para os dias atuais em mostra pública pelos designers Wayne e Tilly Hemingway

Quarto do pós segunda guerra trazida para os dias atuais em mostra pública pelos designers Wayne e Tilly Hemingway

Quarto do pós segunda guerra trazida para os dias atuais em mostra pública pelos designers Wayne e Tilly Hemingway

Quarto do pós segunda guerra trazida para os dias atuais em mostra pública pelos designers Wayne e Tilly Hemingway

Quarto do pós segunda guerra trazida para os dias atuais em mostra pública pelos designers Wayne e Tilly Hemingway

Quarto do pós segunda guerra trazida para os dias atuais em mostra pública pelos designers Wayne e Tilly Hemingway

3HAUSS_Arquitetura_projeto-escritório-Fiama-Pereira

Projeto que fizemos do escritório da blogueira Fiama Pereira

3HAUSS_Arquitetura_projeto-escritório-Fiama-Pereira-1

Projeto que fizemos do escritório da blogueira Fiama Pereira

3HAUSS_Arquitetura_projeto-escritório-Fiama-Pereira

Projeto que fizemos do escritório da blogueira Fiama Pereira

3HAUSS_Arquitetura_projeto-escritório-Fiama-Pereira

Projeto que fizemos do escritório da blogueira Fiama Pereira

CONCLUSÃO

Portanto, o vintage e o retrô se diferenciam na época de produção e nas influências de estilos. Enquanto o vintage traz elementos e peças de mobiliário originais dos anos 20 aos 60, o retrô faz releituras dos produtos dos anos 70 e 80. 

Infográfico retirado do site www.vintageeretro.com.br

Infográfico retirado do site www.vintageeretro.com.br

Ambos remetem ao passado, mas de formas muito diferentes, não é mesmo? E você, qual prefere?!

Quer receber mais conteúdos relacionados ao mundo da arquitetura? Se inscreva clicando aqui!

Até mais,

3HAUSS Arquitetura

There are no comments yet, add one below.
t Twitter f Facebook g Google+