Press Enter to Search

3HAUSS

3HAUSS é um jogo de palavras. O "3" (three em inglês) refere-se à tríade arquitetônica, proposta pelo arquiteto romano Marcus Vitruvius: Firmitas, Venustas e Utilitas que representam, respectivamente, os princípios estruturais das edificações, os conceitos de beleza e os de funcionalidade. Além disso, o número brinca com a sonoridade de tree na língua inglesa, que significa tanto árvore quanto viga.
Hauss, mais um jogo com a palavra alemã haus, que significa casa. Com mais um “s” a palavra ganha o significado de extraordinário, surpreendente e maravilhoso em inglês. O nome 3HAUSS une os conceitos da arquitetura surpreendente, ecologicamente responsável, e da organização e concepção inteligente de espaços.

COZINHAS INTEGRADAS – PARTE 1

abril 24th, 2016

3hauss arquitetura cozinhas integradas parte 1

Você pediu, e nós atendemos! O tema de hoje é cozinhas integradas: Como integrar espaços pequenos de maneira harmônica e funcional?

Existem várias razões para eliminar paredes e integrar a cozinha com a sala de TV ou com a sala de jantar. Além de trazer a sensação de ambiente mais amplo, imagine poder cozinhar assistindo a seu programa favorito, ou poder ficar de olho nas crianças e no seu pet brincando na sala; Ou ainda poder preparar um jantar com a companhia de sua família ou de seus melhores amigos enquanto tomam um belo vinho regado a boas risadas!

É simplesmente perfeito!

Por outro lado, se seu estilo de vida for mais conservador e preferir manter a “bagunça” da cozinha afastada de seus convidados, ou não quiser utilizar depurador/coifa (leia mais sobre coifas e depuradores aqui!) e não gostar muito que os odores dos alimentos e de frituras cheguem também em outros espaços, pode ser que esse tipo de planta não seja o mais indicado para você. Se nada disso for um problema de fato, delicie-se com os benefícios da cozinha integrada.

post  de hoje vai tratar da primeira parte do tema, sobre em quais situações é possível integrar sua cozinha, e sobre as técnicas que utilizamos para garantir uma unidade visual entre os espaços.

A segunda parte  tratará de layouts de cozinhas integradas e medidas básicas funcionais para apartamentos e residências pequenas.

É possível fazer essa integração em 4 situações:

 
1) EDIFÍCIO EXISTENTE COM SISTEMA CONVENCIONAL PILAR E VIGA:

Edifícios construídos no sistema convencional (pilar+viga) permitem que paredes de alvenaria (tijolos) sejam removidas desde que os pilares e vigas não sejam alterados. Mas antes de sair quebrando paredes é importante obter a liberação do seu condomínio e uma análise do projeto estrutural, bem como se não há nenhuma prumada de tubulações do edifício passando por ali, ou ainda se não há nenhuma chaminé de churrasqueira de apartamentos inferiores, por exemplo. Edifícios construídos no sistema autoportante não permitem que sejam feitas alterações nas paredes estruturais, pois são elas quem sustentam o pavimento superior. Contrate um arquiteto ou engenheiro para fazer essa análise para você e tenha em mãos o projeto da construtora. Leia mais na matéria sobre as normativas para reformas  aqui !

 
2) EDIFÍCIO NA PLANTA:

Para esse caso, por meio de solicitação do cliente, a própria construtora deixa de executar essa parede/”mureta”. Isso gera economia com posterior quebra-quebra no apartamento depois de pronto e reduz bagunça de reforma. Verifique com a construtora se é possível fazer essa alteração antes mesmo do apartamento ser finalizado.

 
3) EDIFÍCIO CONSTRUÍDO COM PAREDE DRY WALL:

Se o sistema construtivo for convencional (pilar + viga) com paredes em dry wall, a divisão entre a cozinha e a sala pode ser removida sem danos à estrutura.

 
4) EDIFÍCIO JÁ FOI ENTREGUE COM COZINHA INTEGRADA:

Muitas construtoras já planejam seus edifícios com as cozinhas integradas, o que garante uma sensação de amplitude e proporciona maior flexibilidade de usos. Aí a integração será muito mais fácil e imediata.

3HAUSS Arquitetura cozinha ilha integrada

Imagem cozinha em ilha totalmente integrada com jantar e sala de estar. O apartamento já foi entregue sem parede divisória, o que garante o visual tipo studio, um conceito que está super em alta. Projeto 3HAUSS Arquitetura para apartamento no Batel – Curitiba/PR

COMO INTEGRAR

Em espaços pequenos integrados o importante é criar uma unidade visual através do piso, ou de cores dos móveis, ou de revestimentos de paredes. Essa unidade pode ser feita com o mesmo material, ou com materiais que se combinem. Em espaços pequenos, cores claras, objetos de dimensões proporcionais e espelhos no lugar certo, ajudam a trazer a sensação de amplitude.

Imagens projeto MB no bairro Jardim das Américas, utilizando mesma paleta de cores na cozinha e na sala de TV e jantar, integradas, o que garantiu uma unidade visual e harmonia entre os espaços. Projeto 3HAUSS Arquitetura

O piso pode ser o mesmo na cozinha e na sala, (porcelanato ou vinílico), mas não é obrigatório. É possível integrar mesmo com porcelanato na cozinha e laminado na sala, basta atender pelo menos um dos outros princípios a seguir:

 

Imagem da escolha de lâminas de mdf para cozinha e estar e tecido do sofá da sala de TV. Aproximar as amostras entre si garante harmonia entre texturas e paleta de cores. Imagem 3HAUSS Arquitetura

INTEGRANDO COM A SALA DE ESTAR/TV

Primeiramente é importante analisar sua planta e o melhor layout para seu espaço. Pode ser que mudar a posição do ponto da TV ajude ao cozinheiro a assistir seus programas enquanto cozinha. Essa mudança quando possível, pode ser feita pelo piso ou ainda pelo forro, passando pelas paredes.

Cuide com os fluxos de circulação: se forem se cruzar, deve garantir que haja espaço livre suficiente para o funcionamento dos dois espaços, como por exemplo garantir que a abertura da geladeira não prejudique a circulação de pessoas na sala ou o acesso à cozinha. Na segunda parte trataremos de medidas básicas funcionais para sua cozinha integrada.

É possível manter esse conceito de integração com uma maior flexibilidade, criando a opção de fechar sua cozinha com portas de correr, quando necessário. Para manter as louças sujas longe dos olhos dos convidados, e manter sua cozinha organizada a lava-louças também é uma boa alternativa quando houver a possibilidade de ser instalada. Mas são escolhas bastante pessoais, e devem ser feitas baseadas nas suas experiências de vida.

O sofá pode ficar de costas para a cozinha ou de frente, tudo dependerá da posição ideal para a TV e da melhor distribuição de armários da sua cozinha. Se o sofá ficar de costas para a cozinha, é possível criar um armário tipo aparador atrás dele servindo à cozinha. Nesse caso atente para a altura do encosto x altura do armário para não cair alimentos no sofá.

Uma opção bacana para unir os espaços mantendo a integração, é criando prateleiras ou nichos atrás do sofá, como no exemplo abaixo. As prateleiras além de aumentarem a área para armazenamento, não bloqueiam o campo visual.

cozinha face

Imagens de projeto onde a posição do sofá permitiu a criação de uma prateleira que faz a ligação entre cozinha e sala de estar. A mureta entregue pela construtora recebeu tampo de granito para aumentar a superfície de bancada de apoio para a cozinha. Projeto 3HAUSS Arquitetura

AD_COZINHA_01

Destaque para prateleira atrás do sofá com bancada alta para apoio louças e objetos. Projeto 3HAUSS Arquitetura

Se o sofá ficar de frente para a cozinha, pode haver uma bancada alta para refeições rápidas em conjunto com o móvel da TV. Essa solução é a mais comum, mas podemos ir além do obvio, criando por exemplo um armário baixo contínuo servindo tanto à cozinha quanto a sala de TV, ou ainda uma mesa de refeições aberta para a cozinha em baixo com banquetas baixas ou mesmo cadeiras que podem atravessar para dentro da cozinha ou para a sala. Lembre-se que quanto mais  cheio de móveis e objetos pequenos, mais apertado seu espaço irá parecer. Por outro lado, móveis grandes demais para seu espaço também trarão sensação de ambiente reduzido. O ideal é utilizar móveis proporcionais às dimensões do seu espaço e adequados a sua rotina.

É possível criar uma ilha com cooktop pequeno e bancada para refeições rápidas. Para isso é necessário ter circulação suficiente na cozinha e criar ponto de gás e/ou elétrico nesse local para o fogão/cooktop, dependendo do modelo e da viabilidade de fazer essas alterações. Mudanças na posição de gás e outras infra-estruturas da edificação exigem equipe especializada e supervisão de arquiteto ou engenheiro.

VISTA DA ENTRADA

Imagem projeto para residência com cozinha integrada utilizando mesmo piso (vinílico amadeirado) na sala, jantar e na cozinha. Projeto 3HAUSS Arquitetura.

 
INTEGRANDO COM A SALA DE JANTAR

Nem sempre a cozinha virá integrada com a sala de estar, pode ser que ela seja conectada com a sala de jantar. Aí temos outras soluções: criar simplesmente um passa pratos para a sala de jantar ou mesmo uma superfície estreita para apoio de bebidas; se você tiver poucos armários na cozinha por exemplo, a remoção da mureta/parede pode proporcionar a criação de um armário tipo aparador servindo tanto à sala de jantar quanto à cozinha, abrigando até mesmo uma lava-louças sob o tampo como no caso do projeto abaixo; ou ainda podemos encostar na mureta da cozinha, ou na ilha, uma mesa de jantar que irá aproximar seus convidados do preparo dos alimentos e criará uma atmosfera de cozinha gourmet.

LR_JANTAR FACE

Projeto de cozinha integrada com jantar utilizando bancada baixa e armário que abriga lava-louças do lado da cozinha e armário para louças direcionado para o lado da sala de jantar. O painel de correr fixo em trilho no teto permite criar um bloqueio visual parcial da cozinha. Projeto 3HAUSS Arquitetura para apartamento no Jardim Botânico em Curitiba/PR

DSC_0066

Fotografia sala de jantar integrada com cozinha em apartamento no Batel, Curitiba/PR. Projeto 3HAUSS Arquitetura

Quando utilizar bancadas para refeições rápidas entre a cozinha e a sala, planeje a altura da bancada de acordo com a forma com que se pretende utilizar o espaço. As bancadas mais altas (1,10cm – 1,20cm) com banquetas altas (75cm de altura), garantem um visual de bistrô, e você terá a sensação de que estará ganhando espaço de circulação.

No entanto atente que bancadas altas criam uma “barreira” visual mais proeminente do que uma mesa baixa; as bancadas médias são indicadas quando se deseja criar uma continuidade com a altura da bancada da cozinha por exemplo, que gira em torno de 90cm de altura e as banquetas devem ter altura média (de 62cm a 68cm de altura); as bancadas baixas (75cm de altura), exigem cadeiras com encosto ou se precisar economizar espaço que seria ocupado pelo encosto, é possível utilizar pufes ou banquetas baixas (45cm de altura). Existem muitos modelos de banquetas com alturas ajustáveis que podem servir a diversas alturas de bancada.

Atente que banquetas sem encosto aumentam a integração entre espaços e ocupam menos espaço, mas por outro lado, banquetas com encosto são indicadas quando espaço não for um problema e se pretender ficar sentado por mais tempo, garantindo maior conforto por proporcionar apoio para a lombar.

Fique ligado! Em breve postaremos a segunda parte de cozinhas integradas: layouts e medidas funcionais básicas. Para não perder nada sobre esse, e vários outros assuntos cadastre aqui seu e-mail.

Até logo! :)

3HAUSS Arquitetura

One Comment

Post Comment
t Twitter f Facebook g Google+